Texto: Marcos Anubis
Fotos: Pri Oliveira e Camila Kovalczyk
Revisão: Pri Oliveira

matanza2

O show do Matanza INC na 2ª edição do Festival Crossroads Dia Mundial do Rock, que aconteceu no sábado (13) na Usina 5, em Curitiba, foi encarado pela própria banda como um desafio. “Esse festival pra gente é uma prova de fogo, porque nós estamos tocando em lugares menores”, disse o guitarrista Marco Donida no camarim antes da apresentação.

A expectativa da banda fazia sentido, afinal, Maurício Nogueira e Marco Donida (guitarras), Dony Escobar (baixo) e Jonas Cáffaro (bateria) fariam o primeiro show na capital paranaense após a mudança de nome e a entrada do novo vocalista, Vital Cavalcante (ex-Jason e Poindexter). De acordo com a organização, o quinteto encarou mais de dez mil pessoas, o que é um público gigantesco para qualquer evento. Leia neste link uma entrevista com a banda.

matanza3

Sangue nos olhos

O grupo abriu o show no Palco Dia Mundial do Rock com “Guia para demônios e espíritos obsessores”, “Seja o que Satan quiser” e “Odiosa natureza humana”. O público estava dividido entre fãs que acompanham a trajetória do Matanza e pessoas que ainda não sabiam que a banda tinha passado por tantas transformações. Dessa maneira, à medida que o show ia acontecendo, o público foi entrando no clima.

Essa era uma situação para a qual o grupo já estava preparado. “Nós estamos com aquela ansiedade, pensando no que vai acontecer. Nós tocaremos para um público não tão homogêneo e certamente tem gente que conhece o Matanza INC e também pessoas que nem fazem ideia”, disse o guitarrista Maurício Nogueira no camarim, antes do show. No setlist, a banda também incluiu alguns hits, entre eles, “Eu não gosto de ninguém”.

A grande característica neste início de trajetória do novo Matanza é que o grupo acaba de lançar o primeiro álbum, “Crônicas do Post Mortem – Um Guia Para Espíritos Obssessores” (2019), e a turnê é baseada nesse trabalho. “O Matanza INC não é um bailão do Matanza antigo! Esse é um barulho que nós estamos comprando!”, diz Vital Cavalcante. Claramente, a ideia do grupo não é viver das glórias do Matanza, mas construir uma história com a nova formação.

“Pandemonium” encerrou a apresentação. “Que show! Foi o nosso primeiro para um público maior e foi uma prova de fogo, nesse sentido. Felizmente, deu tudo certo. A galera curtiu, teve roda, os fãs cantaram as antigas e as novas canções. Nós, no palco, estamos cada vez melhores porque é um setlist novo. Pra mim, que estou entrando na banda, é novidade total, e para os caras também! A cada show, você vai aparando as arestas”, disse Vital nas suas redes sociais.

Assista a uma entrevista exclusiva com a banda, ao vídeo da música “Tudo de ruim que acontece comigo”, gravada ao vivo no show do Matanza INC no Festival Crossroads Dia Mundial do Rock e veja também o álbum de fotos da apresentação.

Matanza Inc - Festival Crossroads Dia Mundial do Rock - 13/07/2019